terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Blogagem Coletiva - Ser mãe solteira


     A Teh me convidou para essa BC e foi com enorme satisfação que eu aceitei. Ela me disse o dia e foram pelo menos duas noites que após o Enzote dormir minha cabeça fervilhou em idéias e eu corria pro net e rascunhava mas não conseguia dar liga entre uma ideia e outra. Tanta coisa acontecendo, passamos um período de susto e coração na boca (um dia, em outro post, quem sabe?) mas eu tinha que escrever algo legal aqui sobre SER MÃE SOLTEIRA.
     Vamos lá, eu tive certeza desse status aos 7 meses de gestação mas de longe imaginava como seria na vida real, no dia a dia. Não senti a perda, não chorei, não achei o fim do mundo. Estava focada demais em arrumar a vida e o ninho para o pequeno que me chutava.
     Tá certo, eu confesso que imaginava que seria mãe solteira do tipo que divide tempo, tarefas, responsabilidade com o pai solteiro. Surpresa foi ver o "pai" ir na maternidade, registrar e ponto. Encontros ainda vieram, nas salas de audiência. E a paternidade em nosso caso termina aí.
         Morri? Não, to aqui escrevendo um relato pra vocês. E meu filho que é a parte que mais interessa nessa história toda? Bem no momento ele está dormindo mas daqui a pouco vem me chamar pq sabe que a mamãe tá de férias e ele tá mais do que ja é um grudinho. Tá saudável, coradinho, nem magro e nem gordo e dizem que lindo toda vida. O sorriso são os mais espontâneos, a travessura são as mesmas de uma criança com pai e mãe e posso falar de todo o coração: NÃO FALTA NADA PRA ELE.
     Não, não to querendo fazer disso aqui um incentivo a reproduções independentes. Longe disso! Quem me conhece sabe que as vezes deixo escapar suspiros ao ver amigos meus que são PAIS assim em CAPS LOCK mesmo. Confesso que me pego imaginando quão legal seria se Enzo tivesse essa retaguarda, esse apoio, essa figura. Mas ele não tem e aí eu carrego o meu pensamento pro lado prático. Já imaginou como seria mais trágico ainda se a pessoa prometesse ver, ligar, comparecer, gerasse uma expectativa e frustrasse o meu pequeno? Isso sim seria motivo para uma nova GUERRA MUNDIAL.
     Então eu falo com toda a falta de humildade do mundo: pro meu filho a minha pessoa basta.  Ele tem nas figuras masculinas corretas (cito aqui meu PAI que é um PAIZÃO e me surpreende cada dia mais como avô) os exemplos que deveria ter. Enzo também conhece outro PAI, O PAPAI du CÉU, com quem conversa todas as noites. E tendo a proteção Dele vamos caminhando.
     Expliquei pra vcs a ausência para falar do meu jeito de SER MÃE SOLTEIRA. Vergonha? Nenhuma. Tenho até um certo orgulho em ver como eu cresci como pessoa por conta da responsabilidade de ser mãe e ser pai. Há preconceito velado por aí hoje em dia? De certo, mas abstraia e mantenha ao seu lado apenas quem soma e te faz bem, o resto? Bem... esqueça. É fácil? Não se engane... tem horas que você dá uma surtada, acha que não vai conseguir, sente "o peso" de ser somente você pra tudo mas aí você pára, respira, faz pilates ou muay thai, cospe marimbondos, dorme e no outro dia tá tudo bem. 
     É até um pouco egoísta ver tudo da forma que eu vou te contar mas oh, vamos pensar só nas coisas boas? A confiança que a criança deposita será só sua, os beijinhos e abraços e denguinhos também, as gracinhas serão buscando um sorriso teu e isso parece bobo pra quem tá de fora mas te fará ganhar vários dias, mesmo estando cansada ou na M! E é assim, num momento de fraqueza talvez, onde muitos te verão até como vítima (por favor, não se olhe assim e não caia nessa) que você notará sua força. Você é capaz! De fazer o melhor, por ti e por um pedacinho que saiu de você. E eu não sei a sua religião, mas falo por experiência própria: DEUS AJUDA!
     E pra terminar deixo aqui algumas pontos:

  • Melhor ser mãe solteira que viver por aí de aparências, empurrando com a barriga o que foi programado pra não emplacar só pq a sociedade ainda não caiu na real que há muito tempo a composição familiar vem mudando, que não é mais maioria "papai-mamãe-bb". Tão prova disso é que nas escolas é comum o DIA DA FAMÍLIA e não mais do pai/mãe.
  • Leve tudo no nível do respeito pq muitas vezes é apenas isso que sobra mesmo. E se isso for muito difícil pense assim: "ele" me deu o que tenho de mais precioso na vida, então... Hoje talvez seu filho seja pequeno como o meu, amanhã talvez ele te questione então faça tudo pensando no seu filho. Não vá pelo orgulho, caminhe pelo correto, não importa o quanto vocês dois tenham errado, não vá repetir os mesmos erros num enredo que possui agora uma criança.
  • Jamais fale algo desagradável sobre a outra parte envolvida na frente da criança e não deixe que ninguém o faça. Não é legal e falo isso porque sou filha de pais separados. Se tiver que explodir chame uma amiga e desabafe. Ou algo do tipo. Enzo não sabe ler e por isso abri o coração aqui. Esse seria um post a que ele não teria acesso.
  • Perca noites de sono (como eu já perdi) ao imaginar como vai ser o dia em que seu bebê terá o poder de te questionar (Pai. O que é isso? É de comer ou pra passar no cabelo? Eu tenho um? Quem é o meu? Tá vivo?) . Mas depois compreenda que isso não vai te levar a nada. Obs: continuo sem saber o que responder quando chegar a hora rs
  • Não dê atenção demasiada e não sofra (tô falando como mulher) por quem é incapaz de fazer o bem para um pedaço de si mesmo. O homem pode errar com você, mas se errar com o filho não é digno de nada! Parta pra outra, você não perdeu, Deus te livrou! (parece auto ajuda mas é verdade haha)
  • Se você está numa realidade em que há participação paterna, incentive isso. Tá falando aqui a mais ciumenta, mas acredite é hiper válido quando isso é saudável e não envolve riscos e eu faria se fosse o caso.
     Bom, acho que é isso. Esse é o meu blog e me coloco a disposição para críticas, dúvidas ou se desejar me apresentar a um moreno gatão (de preferência o salva vidas que ... esquece hahaha). Seja bem vinda, sente no sofá e se sinta em casa. Sei que foi o post foi bem específico e até longo e não sei se vai valer pra alguém, mas se tiver ajudado uma mãe que seja, pra mim já valeu muito.

9 comentários:

Marina Queiroz disse...

mandou ver em tudo!!!!!
foRçA NA PERUCA GATINHA....
que pena que eu só tenho irmãs e o único irmão que tenho já casou, hehehe
A melhor: se um cara faz um filho e não dá atenção a criança, azar dele. Não merece mesmo seu respeito.
Ahm e quando enzo crescer, com certeza vc já terá um pouquinho mais de ideia do que responder pra ele.
Ninguém morre mesmo porque não teve pai presente.
Outra boa: nunca fale mal do ser na frente da criança; quando a criança cresce, ela vai saber cm certeza quem merece valor.E outra, vc com esta atitude tá criando um HOMEM de verdade.
Bjocas

Tenikey disse...

Vanessa, idala! valeu a pena esperar, que relato mais lindo, mais verdadeiro, adorei.
eu sei bem qnd uma pessoa faz promessas, diz q vai ver e nao vai, isso ja aconteceu algumas vezes comigo, e eu ficava fula da vida!
obrigada por ter apoiado a idei do BC! beijos

Debora Martins (amiga virtual) disse...

Como sempre, falou e disse tudo!
A consciência que você criou e o amor que você cultiva pelo seu pequeno, com certeza transbordam aos olhos dos outros! Seu blog deveria ser uma ferramenta de utilidade pública rs, porque para quem passa por isso esse post é um grande incentivo a não desanimar nunca! Parabéns!!

Aprendendo com Davi disse...

Minha inspiração!

Matou a pau vc, como disse, vc é uma das pessoas q me faz acreditar como vale a pena e que podemos tudo!

Adorei os pontos que vc listou, super importante mesmo.

Estamos juntas, por que der e vier.

Bjs bem grande pra vcs

Fabiana disse...

Eita menina danada essa Vanessa. Arregaçou as mangas, foi lá, fez e continua fazendo.
Enzo vai se orgulhar muuito de você.

Bjos.

nymphetamine disse...

vanessa,te conheço pouco,como pessoa e como mãe de um dos garotinhos mais lindos que eu já vi na vida,mais o pouco que vi de você com o Enzo achei incrível ...
Não é fácil ser mãe em tempo integral(presenciei isso com a minha mãe),trabalhar e manter boas notas na faculdade,pra mim você é um exemplo e um dia quando eu tiver um filho espero ser uma mãe tão boa quanto você.
Eu tenho certeza que o Enzo vai ter muito orgulho de ter uma mãe como vocÊ.

Sempre que eu posso leio o seu blog e eu sinceramente acho ele o máximo.

tudo de bom pra você e pro enzo!
bjs

Marla Gass disse...

Bah, gêmea, me fez recordar de umas partes doloridas do processo. Mas, quer saber?!, foi bom pra ver que o que não me mata me fortalece meeeesmo.
Afinal, cá estamos. Com esses dois cada vez mais lindos e fofos e carinhosos e queridos, com a certeza de somos as melhores mães que eles poderiam ter. ;-)

lanna balduino disse...

Oi querida...
Sabe antes só do que mal acompanhada,já dizia minha avó.
Reflita você,quantas crianças vivem com pai e mãe e presenciam brigas,tapas,palavrões eoutras coisas mais...que triste não é mesmo?Então nem sempre viver junto é bom assim...

Viva sua vida em função do seu filhote e seja feliz o máximo que puder,sem olhar pra trás,sem se interssar o que fala os outros...a vida se tornamais fácil!

Bjão e me visite quando puder...preciso de amigos que me acompanhem.

Nívia F. disse...

Nossa, se vc queria ajudar uma mãe que fosse, essa mãe sou eu!! Bingo!!
Essa ideia de ser mãe solteira ainda não está formada na minha cachola, mas por isso mesmo fiz o meu blog, pra compartilhar com outras mães, principalmente solteiras e ter delas o apoio que procuro, afinal ninguém melhor do que pessoas positivas e que já aceitam a condição, para nos fortalecer. Parabéns pelo post e sucesso.

Meu blog conta a minha trajetória como mãe solteira e o intuito dele é compartilhar com outras mães, principalmente solteiras.

Bjs

http://mae-solo.blogspot.com/

Related Posts with Thumbnails