terça-feira, 19 de julho de 2011

Não tenha filhos!

     
     Certa vez li algo falando exatamente disso aí e resolvi expressar a minha humilde opinião...
     Tem que ser corajosa(o) para conhecer o céu/inferno que é a maternidade/paternidade.
     Não é fácil, mas também não é difícil. Não é um mundo colorido mas também não é o umbral. Não vai sobrar muita coisa na sua carteira, mas também não é o motivo pela qual ela ficará vazia. Você passará por testes constantes: "Tua paciência tem limite?", "O quanto de adrenalina teu coração suporta?", essas coisas...
     Estará sob constante julgamento alheio, para quem tá de fora você jamais será perfeita... aliás porque diabos mesmo você é mãe?
     E isso não é nem 0,5% do manual. Te garanto que você viverá 10% do mesmo e terá vontade constante de atropelar qualquer engraçadinho que te pegue num péssimo dia e tente dar uma despretensiosa ajudinha verbal. Se olhar recriminando um ataque no estilo terrible two você marca a fisionomia do indivíduo e atropela depois.
     E então vai encarar? 
     Ser mãe não é para fracas e muito menos para amadoras.
     É muito bonitinha a frase "quando nasce uma criança nasce com ela uma mãe" ou algo do tipo, mas não se iluda... É MENTIRA!
     Ao sair do hospital você não é mãe, se teu filho tem 2, 20, 40 anos... você também não é A MÃE! E não será nunca!
     Ser mãe é aprendizado, é algo diário, é muito instinto e também estudo. E apesar de tanto esforço você jamais verá 10 no CR. E o critério de avaliação é complexo. Na banca existem muitos: marido, mãe, sogra, tia, vizinho, cachorro, papagaio e periquito. Não posso esquecer dos desconhecidos - eles também fazem parte da comissão! Mas a pior nota você receberá de você mesma. Esse negócio de auto avaliação é furada quando falamos da relação pais/filhos. Entre a vontade de educar e o medo de ser dura demais existe um container com algumas toneladas de culpa.
     Não é brinquedo não!
     Se eu fosse esperta teria pensado mil vezes antes de embarcar nessa viagem. Que dó de não ter lido aquele texto esperto antes. Vamos gente, não é tão complicado saber de que texto eu falo... Faz poucos meses que ele causou revolta na blogosfera, e eu quase vomitei se não fosse o desespero em pensar: "Pqp. Náuseas? Só me falta estar grávida de novo!" 
     Filhos. Pra que filhos?
     Segue abaixo meu atestado de total insanidade mental:
     Se eu não tivesse meu filho jamais teria de fato vivido a palavra incondicional. Ela esteve presente por longas madrugadas enquanto meu bebê insistia num timo RN de ser, esteve presente também no período de amamentação e se encontra presente até hoje nesse amor insistente que só faz aumentar.
     Sem meu filho eu não saberia do poder de cura concentrado na gargalhada de uma criança. Cura um péssimo dia de trabalho, cura decepção, falta de grana e até TPM!
     Sem o Enzo eu não teria me aproximado tanto de Deus. Como iniciar ou terminar um dia sem agradecer a Ele por esse presentão?
     Sem o guri eu teria esquecido como é bom ser criança, brincar de imaginar, acreditar, ser otimista e ver as coisas por um ângulo mais simples.
     Sem ele também eu teria me acomodado na vida. Para que metas? Crescer profissionalmente? O que tenho me basta.
     Sem esse moleque eu também não me preocuparia com questões ambientais Que se exploda o que vou deixar para as futuras gerações. Mas peraê! Meu filho faz parte dela né?
     Também não saberia o que é ser acordada com beijos, ganhar mini abraços apertados... Não conseguiria rir de mim mesma sendo idiota e dançando HI-5.
     Confesso que não sou muito inteligente... mas confesso também que o meu menininho foi a "burrice" mais gostosa que eu já cometi.
     Tem mais alguma "burra feliz" por aí?

19 comentários:

Bia, Mãe da Clara disse...

Sem exageros, mas eu poderia pegar seu texto e assinar meu nome embaixo que possivelmente eu mesma poderia achar que EU havia escrito rs
Somos mães e aprendemos a cada dia, a ser mais mãe, a ser mais feliz, a viver.
Só sei que aprendi que sou a mãe que posso ser e tenho certeza que minha filhota me ama mesmo assim. Né não? :)
beijinhos no meu genro

Cαroliny Morαes. disse...

Por que será que não me assustei com o título?! #amomuito

Dina disse...

Que lindo amiga, vc escreve com o meu coração.

Eu sempre falo que o Fe foi o "erro" mais certo de toda minha vida.

Kira! disse...

Ser mãe é um tanto egoista cara! E eu penso que eu fui tão idiota por não ter um filho antes! Porque filho, te faz sentir viva em qualquer ocasião, faz você querer lutar para viver. Me lembro de quando estive internada, sem saberem o que eu tinha, e eu só pedia para ficar tudo bem, porque eu tinha uma filha.

Talvez eu tenha me tornado mais encrenqueira, polêmica não sei. Mas é bem isso, é aguentar ser criticada, e quando expor suas opiniões, ser massacrada. E ser feliz. Porque você tem NO QUE ACREDITAR. =)



Fazia tempo que não passava por aqui, saudades de você!

Beijos

Dany disse...

Ser mãe é uma loucura e uma delícia! Nem sei o que seria de mim sem Caio.

Aprendendo com Davi disse...

wow...adorei Nessa!
Ser mãe é pras fortes, bem fortes...do tipo centauro...rs..
Eu tenho dito, é meu melhor e maior projeto, o que exige maior esforço mas que tem os melhores pagamentos, sorriso sinceros, abraços gostosos e mto, mas mto amor!!

Bjs pra vcs!!!

Flávia Lima disse...

Vanessa, eu também me aproximei mais de Deus depois da Maternidade..só isso já compensou tudo que veio e que virá daqui pra frente de dificuldade nessa caminhada como mãe.

Um espaço pra chamar de meu disse...

Burra se apresentando...kkkkkkkkkkkkk
às vezes penso por que fui ter filhos,por que ñ tive só um,rsrsrsrs
Pensamento q passa rápido,muito rápido,logo ganho um bj um abraço,um carinho ou ouço um "vc é a melhor mãe do mundo!!!"
Sou feliz por esta opção de ser mãe...bjks e saudades,lindona!!!

Emanuele disse...

que texto maravilhoso sobre maternidade...
Só sendo mãe para saber e entender
essa 'maravilha' kkkkkkk (é bom mesmo, não o tempo todo, mas é)
O problema é a tal 'banca' de avaliação... Sofremos... e como sofremos.

Beijos em vc e no Enzo, esse capricho na natureza com a beleza e o charme da mãe....

Deborah disse...

"Sem meu filho eu não saberia do poder de cura concentrado na gargalhada de uma criança."

Meodeos... gargalhada de filho é coisa que aquece o coração dum jeito que me faz ter esperança de que tudo tudo tudo vai dar pé.

Sou uma pessoa muito melhor depois de ter entrado nessa viagem louca que é a maternidade.

Beijocas pra você e Enzo.

Thaty disse...

Eu tô comentando aqui só pra constar que li. Pq seu texto é tão lindo, tão lindo, tão lindo... que você conseguiu o que poucos conseguiram: me deixar sem palavras.

Beijão!!!

Anamaria - mãe feliz e babona disse...

Lindooooooooo!

Lilian Gratti disse...

é exatamente assim!!!!

vc conseguiu resumir td perfeitamente nesse post!!!

eu sou uma 'burra feliz' DUAS VEZES!!!!

e não me arrependo em momento algum e faria tudo de novo se fosse preciso!!!

obrigada pelo texto!

bjão
da Li

Raquel Gomes disse...

Como? Como não acordar e deitar agradecendo, minuto a minuto, esse milagre que cresce no nosso ventre e vira gente? Como não amar um sorriso claro, um beicinho triste, um choro de manha? Como não sorrir e chorar no mesmo dia de alegria, tristesa, desespero, plena felicidade?
Como não acordar de mau humor de madrugada e dar graças a Deus, ainda assim, porque você acordou para amamentar.
Eu sempre digo que "ser mãe, não é padecer no paraíso, e sim ser feliz num purgatório".
Amei seu texto!
Beijos

Denise Lima disse...

Nossa, você disse tudo. Ando em uma fase que me cobro demais, mas não consigo deixar de pensar no quanto eu cresci durante a existência da minha bebê.
Só fiquei curiosa com o texto, que eu não li.

Têh~° disse...

van, adorei! adorei esse post, num é que vc falou tudo??!! eu podia pegar esse post, mudar uma coisa ou outra e assinar, porque é tudo, tudo que acontece.
esses dias fui pega pra cristo e tive que ouvir cada coisa... e contar 1 2 3...

queria saber q etexto polemico foi esse, pq eu perdi.
beijos

Yara disse...

Eu sou uma burra cada dia mais feliz!
Filhos são presente de Deus, mas, acho q nem todos os merecem.

Yara disse...

Eu sou uma burra feliz e mais feliz a cada dia que passa.
Essa é uma burrice permitida somente a quem está disposto a aprender com essas figurinhas chamadas "Filhos".

Chris Ferreira disse...

OI Vanessa,
lindo o texto. Eu sou duplamente burrinha mas sou duplamente feliz.
E juro que queri ser mais burrinha ainda.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Related Posts with Thumbnails