quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Blogagem Coletiva - Vínculo

Estava no twitter recebendo força das amigas após um mega tombo do Enzo, que deixou meu coração em frangalhos, quando vejo que é dia de #blogagemcoletiva
O blog andava abandonadinho e eu precisava de um motivo pra voltar pra cá. Mas iria tirar essa força da onde após uma noite na emergência?
Animei bastante quando vi que o tema era VÍNCULO! Tudo a ver com o momento.
Ham? Tombo combina com vínculo? Surtei de vez?! Calma... vou explicar!
Vamos ao tema!
O vínculo com meu filho não nasceu quando o teste de farmácia trouxe a feliz notícia (e assustadora ao mesmo tempo). E acho que também não nasceu com a barriga crescendo... Ali eu acarinhava e cantava para alguém que ainda não conhecia. Achava estranho!
O vínculo, de fato se fez, quando cheguei em casa com um bebê que era só meu (sou mãe e pai também!). Tive que arregaçar as mangas e virar noites sozinha sem alguém pra dividir comigo essa nova rotina. Sofri e ainda sofro (sozinha) os sustos que essa viagem inusitada me dá. Ainda é tudo novo. E (adoro essa parte), aproveito a parte boa da maternidade - também sozinha Muaaahaha - beijos, abraços, carinho, dengo, afagos...
Não foi de caso pensado que tudo isso aconteceu. Não cheguei em casa com o pensamento firme de me dedicar exclusivamente. Estava com medo demais para pensar em alguma coisa. E imagino que Enzo também. Recém tirado do seu forninho, com um mundão cheio de novidades, outras vozes, outros cheiros, outros sons! É... tenho certeza que ninguém pensou em nada!O vínculo foi nascendo com os dias que se passaram... e se intensificou!
Descobri no meu filho vontade de viver. E ele descobriu algo em mim... (mãe, amiga, segurança, tetas? Ele ainda não sabe falar! rs)
E o tal vínculo é tão forte que ele (Enzo) exige exclusividade quando estamos juntos (trabalho fora).
Durante a semana antes de sair tomamos banho juntos e quando chego brincamos. Na hora de dormir? Cama da mamãe! Atirem pedras quem se achar no direito, mas eu deixo porque já passei um dia longe, quero mais é dormir juntinho! E quando falo junto, é junto mesmo! Imaginem uma grávida deitada de lado. Imaginou? Agora no lugar da barriga, visualize um bebê. É assim que dormimos, ele se encaixa ali como se ainda estivesse na barriga. Fujo desse ninho apenas para um banheirinho básico e super rápido. E por vezes volto pro quarto e encontro um bebê sentado no meio da cama, de olhos fechados, me esperando. Nos aninhamos de novo e dormimos mais uma vez.
Essa noite foi diferente... Fui ao banheiro e ao voltar encontrei meu bebê chorando de cara no chão. Caiu! Quando o levantei eu vi um nariz pretinho e chorei! Voei pro hospital certa de que ele tinha quebrado o nariz. Mas Papai do Céu foi bom com a gente e o raio X mostrou um nariz inteiro. Um susto apenas! MAS QUE SUSTO!
E isso me fez pensar... que vínculo é esse? Que ligação forte é essa que acaba até machucando? Estou certa em "alimentar" ainda mais tudo isso? Não é hora de cortar esse "nosso momento" e apresentá-lo ao bercinho (praticamente novo e sem uso)?
Ainda não sei as respostas... tampouco sei como farei essa noite. Sei apenas que a maternidade me trouxe alguém que não depende de mim apenas... Há algo mais aí. E talvez a palavra VÍNCULO explique esse algo mais. Sei que estou preparando um homem pro mundo. Sei que um dia, lá na frente, talvez não tenhamos tanto tempo (se hoje o tempo é precioso, estou certa que no futuro será luxo!). E imagino que eu vá chorar, não como estou chorando agora, deixando que as lágrimas levem essa mistura de angústia e susto embora, mas de saudades... Saudades desse tempo, dos nossos momentos, e até dos sustos... Saudades do vínculo forte que nasceu entre essa mãe que aqui escreve e seu filho de nariz inchado.

15 comentários:

Laudiane disse...

Certamente que esses assuntos nos emociona muito...
Quando somos mães muito mais porque parece que a palavra mãe e vínculo estão ali grudadinhas
Amei seu post flor
Parabéns pelo Enzo cada dia mais lindo amei as fotos que fez....
Lindos dias viu????
Bjus

Dê Freitas disse...

Lindo post Van, fiquei emocionada. Imagino com o você ficou aflita. Um dia a Manu bateu a cabeça bem de levezinho. Eu fiquei chorando de noite lembrando de como ela se agarrou em mim pra ficar dengosa e pensava: justo eu que deixei ela bater a cabeça. Nós mãe sofremos e nos culamos o tempo todo, né? MAs o Enzo sabe a mãe e pai maravilhosa que tem.

Bjs e melhoras pra ele!

Cristiane Mota disse...

Engraçado...parece que fui eu quem escrevi - rs... Tenho um Maridao com M maiusculo do meu lado, mas isso nao diminui em nada meu vinculo com o B. que é fortissimo, como tb trabalho fora ficamos agarrados todo o tempo que temos, inclusive dormimos abraçadinhos tb - mas nao a noite toda.. Faço o B. dormir na minha cama agarradinho e levo ele dormindo pra cama dele... de madrugadinha ele acorda e me chama, ai busco ele de novo pra nossa cama. E vivo neste eterno dilema de parar com isso e nunca faço... ai, ai..

Lilian Gratti disse...

Vanessa!
espero q entenda q apesar do susto, Q RELATO LINDO de vínculo!
concordei com o post em vários momentos (ser pai e mãe (2x agora), criar vínculo e td mais dp q o bb nasce, formir juntinho!!)
e o q mais me tocou foi a parte de vc fugir pro banheirinha e voltar com ele sentado, olhos fechados, te esperando!
não contive as lágrimas!
parabéns!!!
bj
da Li

Tuka Siqueira - Ktralhas disse...

Meu filho mais velho também dormia comigo. À noite ele se chegava e enfiava os pezinhos gordos entre as minhas coxas e dizia: "quenta pezinho mamãe!" Até hoje aqui em casa brincamos com isso, sempre que alguém quer muito um chamego chega perto de mim e diz "Quenta pezinho mamae". Engraçado eu não lembrar disso quando escrevi minha história sobre vínculo....


Espero que o Enzo fique bem, tombos são parte do aprendizado, infelizmente.

Beijos

Fabiana disse...

Meus olhos estão cheios de água...

ô amiga, que suto com seu pequeno. Graças a Deus foi só um susto que será colocado na memória das lemrabças pra um dia ser lembrado com menos aperto no coração.

Enzo já tinha caído alguma vez da cama?
Laura já caiu qdo tinha 6 meses e eu fiquei dilacerada por dentro me sentindo culpada.

Mas passou e eu aprendi: bebê sozinho NUNCA mais. Ou ta comigo outa no berço ou ta no chão.

Penso nso prós e contra dessa decisão de colocá-lo no berço. Só vc e seu coração poderão tomar essa decisão.

mas veja que esteja ele onde estiver, seu coração estará sempre com ele.

Bjão grande.

Débora disse...

Vanessa,
Lindo post ! O vínculo de uma mãe com um filho é algo mesmo muito, muito forte ! Criar um filho não é fácil ! E ser pai e mãe ao mesmo tempo é tarefa em dose dupla ! Parabéns ! Tomara que seu bebê fique bom logo ! Bjinhos

Bete Strøm disse...

Também me emocionei muito com o que você contou e sei muito bem como é este sentimento...Amo meu bebe incondicionalmente e as vezes me pego chorando, já preocupada quando chegar a matridade e ele partir...Beijos e melhoras para o Enzo

Geovana disse...

oi querida nossa que post, amei cada palavra tua, senti junto, tenho dois filhotes, um casal, e tambem faço uso da cama compartilha, tambem amamento ate hoje, e amo tudo isso, amo esse vinculo que a gente cria com eles esse amor que explode quando a gente ve aquela carinha linda na maternidade...nossa fiquei aflita achando que o Enzo tinha machucado mesmo o nariz, ainda bem que foi só um susto...

beijocas Geovana

http://jogaucha.blogspot.com/

Thaty disse...

Coração aperta quando acontece essas coisas, não é? Mas elas acontecem sempre, em todas as idades. Um dia eles caem da cama (Vítor caiu da dele, entre ela e a parede, pode??), outro eles se machucam no futebol, ou andando de skate. São as dores do aprendizado, infelizmente.

Lindo post o seu, fiquei muito emocionada!!!

Ligiane, mãe do Rafael disse...

Ô, querida! Sou solidária ao seu desespero. Imagino quantas mil coisas passaram pela sua cabeça, da aflição até saber que seu pequenino estava bem.
Emocionada em ler o que escreveste. E que mãe ao cubo que és!!! Não é pequena a tua tarefa em se desdobrar em tantas para dar conta do filhote, do trabalho, da casa...Parabéns pelo fôlego!

Quando olho pro Enzo vejo muito carinho em seu olhar. E você é responsável por isso, com toda certeza!

E vc saberá como proceder. No fundo a gente sempr sabe :o)

Um beijo solidário, com muito carinho!

Begerron disse...

Hehehehehehe...
E Saudades da Vovó não conseguindo tirar o carro da garagem, para levar o pentelho ao hospital.
Hehehehehehehehehehehehehehe

Débora disse...

Olá Vanessa,
Obg por visitar e comentar no Amar ser Mãe. Que bom que vc gostou da idéia. Aproveito para fazer o convite a vc tb. Que tal participar do quadro ? Li o seu texto sobre vínculo e adorei. Vc escreve bem... por isso... já sabes... bjinhos e bom finde !

Cláu Gimenes disse...

Emocionei com seu relato!!!
É um amor tão forte, tão grande, tão intenso que a gente nem sabe qdo começou, nem como!!!
Os sustos nos fazem chorar, os momentos alegres tbm...rss
Viramos uma máquina ambulante de lágrimas qdo eles nascem e passamos assim o resto da vida!!!

Espero que o narizinho já esteja bem!!!

Grande beijo,

CLáudia

Mariza disse...

Vanessa, o vinculo entre mãe e filho, em especial quando bebê é algo sublime,celestial e inexplicável. Só sendo mãe(de verdade,como somos!!!) para saber do que estamos falando...
Gostei muito do seu post. Que jeitinho mais sincero,meigo e ao mesmo tempo aflito de escrever. Imagino como tenha ficado com a queda do pequeno... Tadinha!
Sobre o berço, não existe receita pronta para isso. Apenas siga o seu coração!
Sobre a Aline,virei sua fã! Que história linda!!! Que luz que ela emana! Postei aquela mensagem por que não tenho acesso a comentários em seu blog e queria muito dizer algo para ela. Espero que um dia ela possa ler.
Beijos e seja muito bem vinda ao nosso cantinho.

Related Posts with Thumbnails